terça-feira, 30 de novembro de 2010

Estresse Ocupacional: dificuldades no trabalho

O estresse ocupacional é um quadro de esgotamento físico e psicológico que tem por origem a situação do individuo no trabalho. Quando as situações demandam mais do que os recursos internos que a pessoa tem disponível o quadro de estresse se instala. Em geral ele é caracterizado por alterações de humor e dores físicas que costumam resultar no afastamento temporário ou até definitivo do individuo. A sensação de estar isolado em seus problemas e de desamparo frente ás pessoas e órgãos de suporte no trabalho tendem a agravar o quadro. Nestes casos é necessário que a pessoa procure ajuda psicológica que vai auxiliá-la no enfrentamento de sua situação e ajudá-la a resgatar a auto-estima perdida. Compreender os fatores estressores tais como violência, relações entre a equipe, dificuldades técnicas, conflitos com superiores é fundamental para contextualizar o problema e permitir que a pessoa elabore conscientemente suas questões. Afinal, quando a boca cala, o corpo fala (A. Barreto)


Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06]86668
gabipdaltro@hotmail.com
Brincar é coisa séria

Atualmente muitos pais reconhecem a importância das brincadeiras na vida das crianças, mas ainda falta uma compreensão mais profunda quanto ao papel que o brincar na infância desempenha para o desenvolvimento motor, psicológico e, também, escolar. Todo aprendizado começa pelo corpo: é através da experimentação das sensações do corpo que a criança conhece e explora o mundo a sua volta. As primeiras noções de ritmo, lateralidade, peso, altura, posição dos corpos são dadas pelo brincar do corpo e sua movimentação pelo espaço. Some-se a isso as fantasias envolvidas no brincar que serão importantes para o desenvolvimento da capacidade de abstrair, ou seja, realizar cálculos e interpretar textos. Ainda mais a criança aprende ao brincar: ao se exercitar com outras crianças experimenta regras sociais, experimenta o próprio corpo em interação e as noções matemáticas de grupo e diferença. Portanto, quando dizemos que brincar é fundamental estamos de fato dizendo que sem ações motoras não pode haver pensamento e, logo, muitos problemas de aprendizagem ocorrem conjuntamente com uma deficiência na coordenação motora das crianças. Conclusão: o ritmo e a pressão do mundo moderno podem alterar a qualidade e a intensidade da atenção, bem como dificuldades ou impedimentos motores podem agravar dificuldades de aprendizagem. Proporcionar um ambiente rico em possibilidades de brincadeira é fundamental para o bom desenvolvimento cognitivo, emocional e psicológico das crianças.


Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06/86668

 
O que é Bullying?

O bullying é um conjunto de atos de violência física e psicológica contra alguém em desvantagem de poder e que traz consequências para vítimas, agressores e testemunhas e que tem tomado relevância nas discussões sobre violência escolar em todo o mundo. Na realidade, o bullying pode ocorrer não somente na escola com crianças e jovens, mas em qualquer grupo de pessoas: na família, entre irmãos; no trabalho, entre subordinados e chefes; nas redes sociais através da fofoca e boatos e caracteriza-se por ser uma violência ou assédio realizados de maneira recorrente e intencional. Muitas vezes o bullying é praticado na forma de agressão verbal e física e como uma maneira de produzir o isolamento das ‘vítimas’. Este tipo de violência pode gerar consequências desastrosas para os envolvidos – isolamento, depressão, faltas injustificadas, pânico e consequências físicas como baixa imunidade fisiológica, tonturas, dores de cabeça, vômitos e enjôos. Um programa de prevenção amplo e que envolva temas como valorização do respeito, inserção dos alunos isolados na comunidade, trabalho e superação dos estigmas e identidade social são algumas das maneiras pelas quais o assunto pode ser abordado em casa e nas escolas. É preciso estar atento para os sinais que tanto vítimas quanto agressores demonstram, para que medidas corretivas possam ser tomadas pelos pais, escola e psicólogo em conjunto.


Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06/86668
gabipdaltro@hotmail.com