sexta-feira, 1 de julho de 2011

Psicoterapia para Disfunção Erétil

A Disfunção Erétil (DE), popularmente chamada de impotência sexual, é uma condição que afeta cerca de 45% dos homens entre os 18 e 60 anos de idade. Ela se caracteriza por uma incapacidade persistente e/ou recorrente em obter e manter uma ereção adequada para o desempenho sexual satisfatório. A dificuldade de ereção repercute negativamente na auto-imagem e afeta a qualidade de vida como um todo; interfere no rendimento profissional e nas relações sociais e familiares. O homem com DE pode evitar a intimidade com a parceria, está mais propenso ao abuso de álcool e alguns relatam vontade de cometer o suicídio. A DE atinge o cerne do exercício da sexualidade masculina, provocando intenso sofrimento emocional e expandindo seus efeitos nocivos para outras áreas da vida da pessoa. Entre os fatores de risco para o desenvolvimento da DE encontram-se prejuízos na saúde física, sedentarismo, depressão, estresse, abuso sexual na infância ou adolescência, ansiedade, uso de certos medicamentos, entre outros. O tratamento para DE consiste, geralmente, no uso de medicamentos aliados à psicoterapia. Apenas 30% dos casos possuem origem exclusivamente orgânica; para os outros 70% a origem da DE é psicológica ou mista (orgânica e psicológica seja na causa ou nos efeitos que provoca). Desta forma, a busca de ajuda adequada compreende a consulta a um urologista e o acompanhamento em terapia para que o homem aprenda a aumentar seu repertório sexual, possa desenvolver uma auto-imagem realista e satisfatória, bem como para trabalhar os aspectos mais amplos de sua sexualidade, vida social, familiar e profissional. Muitas vezes a vergonha e a falta de informação a respeito da sexualidade podem dificultar a procura por ajuda; mas é importante que se considere a DE como uma disfunção que possui causa e que, portanto, também possui tratamento: procure ajuda se necessário.

Gabriela P. Daltro
Psicologia e Sexualidade Humana
CRP 06/86668
gabipdaltro@hotmail.com