terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Sindrome do Panico: procure ajuda

A Sindrome do Panico e um transtorno que se caracteriza pela presença de ataques de pânico sem qualquer fator aparente que o provoque. Afeta cerca de 3% da população e produz sofrimento nos campos psicológico, físico e social. Durante os ataques de pânico ocorre medo intenso e desconforto, junto a alguns sintomas mais comuns como palpitações, suor frio, tremedeira, sensação de sufocamento, tontura, dor no peito ou abdomen, formigamento, ondas de calor ou calafrios, sensação de desmaio, entre outros. Para ser diagnosticado com Sindrome do Pânico e preciso que estes ataques tenham ocorrido ao menos duas vezes e que não possam ser explicados pelo uso de alcool, drogas ou outros medicamentos e doenças clinicas. E um transtorno que causa enorme prejuízo social, conjugal e emocional e pode atrapalhar e ate impedir que a pessoa ande sozinha, trabalhe e realize atividades do dia-a-dia. Em geral, há uma predisposição genética somada a estresse do ambiente como divorcio, viuvez, problemas no trabalho, violência, etc. que predispõem a pessoa as crises. O tratamento envolve, em geral, medicação e psicoterapia. Na psicoterapia são trabalhados tanto técnicas de controle dos sintomas quanto aspectos gerais da vida do cliente que estejam sustentando situações de medo e estresse viando a reinserção funcional, familiar e profissional. Se você sente estes sintomas procure ajuda especializada: o objetivo e sempre ter uma vida de boa qualidade.

Gabriela P. Daltro
Psicologa CRP 06/86668

gabipdaltro@hotmail.com

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Psicoterapia no tratamento da Ejaculacao Precoce

A ejaculação precoce é o transtorno sexual em que o homem ejacula (elimina esperma pelo pênis) antes do momento que gostaria. Geralmente ocorre após rápida estimulação sexual e antes ou logo após a penetração do pênis na vagina. Este transtorno afeta cerca de 29% dos homens; causa sofrimento e pode dificultar seus relacionamentos. O tratamento depende da duração do transtorno e a psicoterapia sexual e focada especialmente na mudança de alguns hábitos sexuais. O terapeuta buscará com o homem e/ou com o homem e parceira (o) estratégias para melhor controle sobre a ejaculação. Estas estratégias incluem maior atenção às atividades sexuais anteriores à penetração, estimulação do prazer em dar e receber toques em várias regiões do corpo e em descobrir quais áreas são mais prazerosas. Durante esses exercícios, o casal vai adquirindo mais intimidade e a comunicação aumenta. O foco de atenção não é mais "se a ejaculação poderá ou não ser controlada" e sim a sensação prazerosa. O homem também aprende a perceber qual o momento em que está prestes a ejacular e a adequar o ritmo e a velocidade das carícias. Para aqueles que passam a apresentar o problema após um período de controle ejaculatório satisfatório, o terapeuta trabalhará a vida afetivo-conjugal, profissional e sua capacidade de relaxar. Psicoterapia individual ou do casal e medicamentos que ajudam a controlar a ejaculação poderão ser necessários. Procurar conversar abertamente com a parceira é o primeiro passo. Após isto, a ajuda médica e psicológica devem ser consideradas.

Gabriela P. Daltro
Psicologa CRP 06/86668

gabipdaltro@hotmail.com