quarta-feira, 17 de agosto de 2011

HUMANIDADE VIRTUAL: abertura ou isolamento das possibilidades de Ser?

O século XXI trouxe inúmeras mudanças tecnológicas, entre as mais notáveis a Internet. A Internet propôs a globalização do conhecimento e a ausência de limites entre países e pessoas: encurtou o espaço e acelerou o tempo. É inegável que o uso da Internet trouxe inúmeros impactos para a vida e para o modo de se relacionar das pessoas. Contudo, apesar de todos os benefícios da rede, problemas como a adição à internet, compulsão por compras virtuais, compulsão por jogos virtuais, entre outros problemas psicológicos também surgiram e se fazem cada vez mais presentes na vida de muitos indivíduos. Neste sentido, o “Transtorno do vício pela Internet” ou “Uso problemático da Internet” tem merecido destaque especial entre jovens e adultos. Considera-se uso excessivo da rede a permanência por seis horas ou mais de conexão diárias, além de avaliação de prejuízos nos relacionamentos sócias, pessoais e a queda na produtividade no estudo e no trabalho. Reações típicas de abstinência como fissura e agressividade na impossibilidade do uso do computador também são sintomas de que algo não vai bem. Em geral, as pessoas viciadas em Internet fazem uso de chats e redes de relacionamento, substituindo os relacionamentos presenciais por histórias e relacionamentos virtuais. Sensações como onipotência, falta de limites, ansiedade, confusão e desorientação e alterações no ciclo do sono são características relatadas por pacientes com adição à Internet. A busca de ajuda especializada pode ajudar na identificação das faltas e dificuldades da pessoa que a levam a buscar compensação no mundo virtual. Aspectos como impulso e compulsão também são considerados. O foco do tratamento está na valorização dos aspectos interpessoais e prazerosos da vida cotidiana e na substituição das horas dispendidas na Internet por momentos de qualidade no mundo presencial.

Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06/86668
gabipdaltro@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário