terça-feira, 1 de novembro de 2011

Crianças: dá para acabar com os chiliques?

Muitos pais chegam ao consultório angustiados com os chiliques dos filhos e desesperados por ajuda. O sentimento de irritação e impotência frente á situação costuma acometer a maioria dos pais. Mas afinal, como resolver este tipo de situação? Em primeiro lugar é preciso compreender que o chilique nada mais é do que uma crise que pode se manifestar de muitas formas: a criança se joga no chão e grita, fica duro ou mole no chão ou rodopiando, bete a própria cabeça na parede, avança nos pais batendo, mordendo e gritando, chora muito alto, sem parar, até quase perder o fôlego e outras variações criativas. Esta crise se dá porque a criança ainda não controla seus sentimentos e não consegue dominar ainda especialmente os sentimentos negativos como raiva e inveja. O objetivo d e qualquer controle é ensinar a criança a tomar consciência destes estados e a lidar construtivamente com eles. Em primeiro lugar os pais não devem jamais ceder e fazer o que a criança quer frente a um chilique, pois ela aprenderá que desta forma consegue o que quer. Falar com a voz pausada, calma e firme, sem perder o controle é fundamental. Avisar uma vez apenas de que o chilique não adiantará e depois se afastar (ou afastar móveis no caso de crianças menores). Mais importante de tudo: não faça nada, simplesmente ignore o comportamento, seja ficando de costas, se afastando ou vigiando de longe sem que a criança perceba. Após a crise, chame seu filho para conversar sobre os sentimentos e o ocorrido e incentive-o a desculpar-se. Estes são os primeiros passos no manejo de uma crise. E, quando se trata de disciplina, a regra é repetir sempre, pois somente com a repetição ocorre a educação! Se sentir necessidade procure um psicólogo para orientá-lo e ajudá-lo neste processo.


Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06/86668

Nenhum comentário:

Postar um comentário