segunda-feira, 8 de abril de 2013

Transexualismo: conhecer para ajudar

O Transexualismo é um Transtorno de Identidade de Gênero, ou seja, uma condição em que a pessoa sente desejo irreversível de ser aceito e pertencer ao sexo oposto. Este desejo é acompanhado de um sentimento de inadequação e desconforto em relação ao sexo anatômico. Esta sensação de “estar no corpo errado” e de desconforto com o próprio sexo deve ser persistente, ou seja, estar presente o tempo todo. É importante diferenciar transexualismo de homossexualidade. No primeiro há inconformidade e estranheza com o próprio corpo e com o papel social (agir e ser aceito como homem ou mulher) e independe da orientação do desejo sexual; na homossexualidade o indivíduo está satisfeito com o sexo anatômico e não deseja mudá-lo. O diagnóstico de transtorno de identidade de gênero é complexo e, muitas vezes longo, pois depende de entrevistas clínicas, investigação do desenvolvimento psicossexual, identificação de gênero, orientação sexual, sentimentos sobre características sexuais secundárias (formato do corpo, cabelos, etc), papel social do sexo designado, bem como exclusão de outros tipos de transtornos, transtornos psicóticos e comorbidades como depressão e ansiedade. A vontade de pertencer ao sexo oposto deve persistir por pelo menos dois anos para que se efetue um diagnóstico. É um quadro que causa extremo sofrimento e que requer acompanhamento o mais cedo possível. Manifesta-se tanto na infância quanto na adolescência e vida adulta mas, em geral, muitos transexuais relatam já demonstrar sua vontade desde a infância. Estima-se que cerca de 1% a 2% da população infantil apresente o transtorno, que pode ou não evoluir para a vida adulta. Procurar ajuda especializada nestes casos é fundamental, pois pode haver automutilação dos genitais, depressão prolongada e até mesmo risco de suicídio para pacientes não tratados.

Gabriela P. Daltro

Psicóloga CRP 86668

gabipdaltro@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário