quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Os jovens e o sexo

O tema da sexualidade está repleto de tabus. Isso porque a sexualidade é algo tão próprio do ser humano, e tão fundamental no cenário de sua existência, mas que continua até certo ponto desconhecida, interditada e, algumas vezes, repleta de determinações que não permitem uma conversa aberta e livre. A falta de um espaço adequado para que o jovem discuta a sexualidade é um dos grandes geradores de ansiedade nesta área. A maioria dos jovens obtém informações práticas conversando com seus iguais, em revistas e, muito raramente em aulas de educação sexual (que em geral prezam apenas pelo caráter anatômico e fisiológico da sexualidade). A comunicação com os pais na maioria das vezes é também restrita, ou por não haver abertura suficiente, ou porque os próprios pais também desconhecem muitas facetas da própria sexualidade e dos filhos levando a uma dificuldade em enfrentar a questão. A questão sexual da juventude está sempre no limiar entre o desejo e a repressão. E deste modo o sexo está sempre presente mas nunca claro. Ele está na televisão, nos jornais, revistas, na rua. Está nos relacionamentos e não se permite conversar sobre ele, sobre dúvidas e receios: é sempre preferível não dizer. O sexo é prazer, mas também é medo, proibição, erro e culpa. Além das questões do desejo, muitas dívidas atormentam os jovens tais como: contracepção, homossexualismo, masturbação, intimidade, etc. Proporcionar espaço para a discussão aberta e sem preconceitos deste tema é o primeiro passo para a auto-aceitação e também a aceitação do outro, uma vez que se cria um canal de comunicação legítimo.

Gabriela P. Daltro
Psicóloga CRP 06/86668
gabipdaltro@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário